Folha do ES
Dom, 7 de Ago
Receitas cofril

.Home     Colunistas     Gilber Rubim Rangel

Parte 2 - Patronos e Patronesses das Escolas de Cachoeiro


 Gilber Rubim Rangel

Gilber Rubim Rangel

Advogado pós-graduado em Direito Civil e Direito do Trabalho. Pesquisador e genealogista associado do IHGES, CEGH, IHGGS e ABRASP.

Ver todos os artigos

  29.junho.2022

Continuando a homenagem aos patronos e patronesses das escolas públicas do município de Cachoeiro de Itapemirim, apresento à biografia de mais cinco personalidades que dão nome a essas instituições de ensino no município.

CAROLINA PASSOS GAIGHER (1897-1953) Professora. Faleceu aos cinquenta e cinco anos. Filha de Miguel Rodrigues dos Passos e Victoria Maria dos Passos. Casou-se com o fazendeiro Guilherme Gaigher. Teve cinco filhos, dentre eles: Tommaso, Neide e Terezinha. Lecionava na escola mista de Santa Marinha D’Airosa, em Alfredo Chaves (1924). Homenageada pelo estado do Espírito Santo, que deu seu nome a escola do bairro Ibitiquara, em Cachoeiro de Itapemirim. Atualmente denominada “EEEFM Carolina Passos Gaigher”, de ensino regular e vinculada a SRE da mesma cidade.

CLAUDIONOR RIBEIRO Professor. Homenageado pelo estado do Espírito Santo, que em 1974 deu seu nome a antiga “Escola Polivalente”, do bairro Guandu, em Cachoeiro de Itapemirim. Atualmente denominada “EEEFM Prof. Claudionor Ribeiro”, de ensino regular e integral, vinculada a SRE da mesma cidade (Leis nº 2.886/1974 e 10.975/2019).

DOMINGOS UBALDO, nome completo Domingos Ubaldo Lopes Ribeiro (†1949) Professor. Faleceu no Rio de Janeiro-RJ. Filho de José Lopes Ribeiro e Rozalina Maria Rogers. Casou-se com Lucília Bousquet Lopes Ribeiro. Teve um filho. Irmão de José Antônio Lopes Ribeiro, desembargador do TJES (1925). Foi aluno da “Escola Militar” e lutou na denominada “Guerra de Canudos”, tendo se ferido no ombro. Aprovado em concurso público para professor de ensino infantil (1909); nomeado para o “Grupo Escolar Bernardino Monteiro”, em Cachoeiro de Itapemirim (Dec. Est. nº 56/1910 e 2.308/1916), onde foi professor (1910-1919), diretor interino e diretor titular (1919-1921) (Dec. Est. nº 4.115 e 4.317/1921). Foi também, secretário da Prefeitura de Cachoeiro de Itapemirim (1926-1930); inspetor escolar estadual (1933); diretor do “Grupo Escolar Alberto de Almeida”, no bairro Santo Antônio, em Vitória (1932-1936), onde se aposentou (Dec. Est. nº 7.700/1936); redator e articulista da “REES - Revista de Educação do Espírito Santo” (1934-1937) e patrono de uma das cadeiras da “ACL-Academia Cachoeirense de Letras”. Autor do livro “Município de Cachoeiro de Itapemirim” (1928). Homenageado pelo estado do Espírito Santo, que deu seu nome a uma escola no distrito de Conduru, em Cachoeiro de Itapemirim. Atualmente denominada “EEEFM Prof. Domingos Ubaldo”, de ensino regular e vinculada a SRE da mesma cidade.

FRANCISCO COELHO ÁVILA JÚNIOR Professor. Em 1927 ministrava aulas no “Ginásio Pedro Palácios”, em Vitória-ES. Nomeado interinamente para exercer o cargo de professor de matemática da “Escola Normal Muniz Freire”, em Cachoeiro de Itapemirim (Dec. Est. nº 8.012/1936), depois efetivado, onde trabalhou até pelo menos 1948. Homenageado pelo estado do Espírito Santo, que no ano de 2001 deu o seu nome a antiga “Escola Polivalente” do bairro Coronel Borges, em Cachoeiro de Itapemirim, criada em 1975 pelo convênio MEC/PREMEN. Atualmente denominada “CEEFTI Francisco Coelho Ávila Júnior” de ensino regular e integral, vinculada a SRE da mesma cidade.

GETÚLIO DORNELLES VARGAS (“Presidente Getúlio Vargas”) (1882-1954) Político e advogado. Nasceu em São Borja-RS e aos setenta e dois anos suicidou-se no Rio de Janeiro-RJ. Foi deputado estadual (1909-1913, 1917-1924), deputado federal (1924-1926), presidente do estado (1928-1930) e senador da república (1946-1951) pelo estado do Rio Grande do Sul. Foi também o líder da Revolução de 1930 e presidente do Brasil por vinte anos. Governou nos períodos de: 1930 a 1934 como chefe do Governo Provisório; de 1934 a 1937 presidente constituinte eleito pela Assembleia Nacional Constituinte; de 1937 a 1945 como presidente no denominado Estado Novo; e, de 1951 a 1954 eleito pelo voto direto. Era chamado de o “pai dos pobres”, pelas políticas sociais e pela legislação trabalhista adotadas em seus governos. Homenageado pelo Governo Federal que o inscreveu no Livro dos Heróis da Pátria (Lei nº 12.326, de 15/9/2010). E, pelo estado do Espírito Santo, que em 1974 deu seu nome ao antigo “Ginásio Polivalente do Aquidaban”, em Cachoeiro de Itapemirim. Atualmente denominado de “EEEFM Presidente Getúlio Vargas”, de ensino regular e vinculado a SRE da mesma cidade (Leis nº 2.887/1974 e nº 10.975/2019).

Se o leitor desejar conhecer a biografia dos patronos das escolas de outros municípios capixabas, poderá fazê-lo visitando a página do Facebook: “Patronos das Escolas Públicas do Espírito Santo”. E, se desejar contribuir com fotos e outras informações sobre qualquer patrono, favor entrar em contato pelo e-mail: [email protected].

Até a próxima.

Comentários Facebook


Enquete


Você é a favor ou contra o passaporte de vacina obrigatório?

  Votar   Ver resultado

Facebook


Newsletter


Inscreva-se no boletim informativo da Folha do ES para obter suas atualizações e novidades semanais diretamente em seu e-mail.

© 2022 Folha do ES. Todos os direitos reservados.